Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

2 anos atrás
Home  /  Ações  /  Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta sexta-feira

Market makers work on the trading floor at IG Index in London

Publicado: (15.09.2017 06:56)

Por: Investing.com 

Confira as cinco principais notícias desta sexta-feira, 15 de setembro, sobre os mercados financeiros:

1. Coreia do Norte lança outro míssil

Os mercados estavam nervosos após informações de que a Coreia do Norte teria disparado outro míssil que sobrevoou o Japão e atingiu o Oceano Pacífico no final da quinta-feira. Foi o segundo míssil lançado pela península que sobrevoou o território japonês em apenas duas semanas.

O Japão reagiu afirmando que Pyongyang não tem “um futuro brilhante” e pediu uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU.

Rex Tillerson, secretário de Estado dos EUA, pediu que a comunidade internacional tome “novas medidas” contra a Coreia do Norte, destacando a Rússia e a China como os países com melhor posicionamento para pressionar o regime.

A demanda por ativos considerados portos seguros, como o ouro, o iene e o franco suíço reagiu inicialmente de forma positiva com o ressurgimento da tensão geopolítica, mas lentamente a calma retornou aos mercados e esses três ativos perderam a maior parte dos ganhos.

2. Bolsas de todo o mundo mostram calma lançamento de míssil

Bolsas de todo o mundo pareciam resistir à pressão advinda da última ação militar da Coreia do Norte, recuperando-se de uma queda prévia conforme investidores assimilavam as notícias.

O mercado futuro dos EUA apontava para uma abertura entre estável e em baixa nesta sexta-feira, já que investidores permaneciam cautelosos, mas deixavam de lado a última exibição de força de Pyongyang. Às 06h51 (horário de Brasília), o blue chip futuros do Dowcaía 4 pontos, ou 0,02%, os futuros do S&P 500 recuavam 3 pontos, ou 0,11%, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100 tinha queda de 6 pontos ou 0,10%.

Do outro lado do Atlântico, bolsas europeias também se recuperavam a partir da reação inicial de aversão ao risco, afastando-se de mínimas do dia e sugerindo que os mercados estão ficando mais acostumados ao aumento de tensões com a Coreia do Norte. Às 06h53 (horário de Brasília), a referência Euro Stoxx 50 registrava redução de 0,11%, o DAX da Alemanha caía 0,03%, enquanto o FTSE 100 de Londres, penalizado por temores de aumento dos juros e por um incidente terrorista na capital do Reino Unido, negociava em baixa de 1,05%.

Mais cedo, bolsas da Ásia encerraram majoritariamente em baixa nesta sexta-feira em sua reação inicial às notícias. O Shanghai Composite da China encerrou com perdas de 0,53%. O Nikkei 225 do Japão perdeu ganhos prévios e encerrou em alta de 0,51%.

3. Série de dados devem guiar sessão norte-americana

Em meio a uma série de dados a serem divulgados nesta sexta-feira, investidores provavelmente se concentrarão na divulgação das vendas no varejo em agosto, a ser feita pelo Departamento do Comércio dos EUA, às 09h30 (horário de Brasília) O consenso das previsões indica que o relatório mostrará que as vendas no varejo subiram 0,1% no último mês após terem tido um forte aumento de 0,6% no mês precedente.

As projeções para o núcleo das vendas no varejo são de aumento de 0,5%, o mesmo aumento de julho.

Vendas no varejo crescentes com o tempo estão relacionadas com crescimento econômico mais forte, ao passo que vendas fracas sinalizam economia em declínio. Os gastos dos consumidores são responsáveis por cerca de 70% do crescimento econômico norte-americano.

Além das vendas no varejo, os mercados também estarão atentos à produção industrial em agosto e os dados preliminares de Michigan sobre a percepção do consumidor em setembro, a serem divulgados às 10h15 (horário de Brasília) e 11h00, respectivamente.

Antes da divulgação dos dados, o índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, recuava 0,16% para 91,89 às 06h54 (horário de Brasília).

4. Bitcoin continua a cair com segunda corretora anunciando fechamento

bitcoin caía ainda mais no território do mercado em baixa nesta sexta com as consequências dos planos da China fechar corretoras domésticas de criptomoedas continuando a cobrar seu preço.

Um alto executivo de um órgão de finanças na internet apoiado pelo governo da China afirmou, na sexta-feira, que moedas digitais “apátridas” como o bitcoin representam riscos, já que podem ser utilizadas por ações ilegais e regras são necessárias para apoiar o desenvolvimento de moedas digitais “legais”.

Nesta sexta-feira, a ViaBTC, uma pequena corretora chinesa de bitcoin, foi a segunda a anunciar que fechará no final de setembro.

Isso ocorre após a BTCChina, importante corretora chinesa de bitcoin, afirmar na quinta-feira que encerraria todas as negociações em 30 de setembro, mencionando mais endurecimento na regulamentação.

Com perdas em torno de 5% na sexta-feira, os preços do bitcoin agora estão mais de 30% mais baixo em comparação à máxima recorde de US$ 4.969,00 de 2 de setembro.

Mesmo com essas perdas, os preços do bitcoin ainda mais que triplicaram de valor desde que encerraram 2016 com a cotação de US$ 966,60.

5. Libra ultrapassa 1,35 frente ao dólar com apostas de aumento dos juros

A libra ultrapassou o nível psicológico de US$ 1,35 nesta sexta-feira pela primeira vez desde 27 de julho de 2016, poucos dias após a decisão do Brexit, já que investidores foram convencidos de que o primeiro aumento dos juros do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) desde antes da crise financeira poderá acontecer em novembro.

Embora o BoE tenha mantido as taxas sem alteração na quinta-feira, o Comitê de Política Monetária (MPC, na sigla em inglês) indicou que o momento para “alguma retirada do estímulo monetário provavelmente será apropriado nos próximos meses”.

Gertjan Vliegh, membro do MPC, repetiu essa perspectiva temporal em um discurso realizado na sexta-feira.

“Até recentemente, eu acreditava que a resposta apropriada à política monetária era ser paciente, dados o crescimento modesto e as pressões inflacionárias de base moderadas”, afirmou ele.

“Mas a evolução dos dados está cada vez mais sugerindo que estamos nos aproximando do momento no qual a taxa do banco precise aumentar”, Vliegh explicou.

O par GBP/USD saltava 1,33% para 1,3574 às 06h55 (horário de Brasília).

Além disso, a força da libra estava inabalada devido a uma explosão no metrô de Londres no início desta sexta-feira. Policiais britânicos de combate ao terrorismo estavam no local em Parsons Green, onde o incidente ocorreu no trem do metrô de Londres e Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido, deverá fazer um pronunciamento às 09h00 (horário de Brasília).

Site: https://br.investing.com/news/economy-news/fique-por-dentro-das-5-principais-noticias-do-mercado-desta-sextafeira-512182

Categories:
  AçõesAlemanhaBitcoinBoEBolsa de valoresCâmbioChinaCommodityCoreia do NorteDólarEconomiaEUAEuroIeneInflaçãoInvestimentoJapãoLibraLondresMercadoOuroParmetalTaxa de Juros
Esse post foi compartilhado 0 vezes
 100