O OURO DENTRO DA RESPONSABILIDADE SOCIO-AMBIENTAL

6 anos atrás
Home  /  Joalheria  /  O OURO DENTRO DA RESPONSABILIDADE SOCIO-AMBIENTAL

O OURO DENTRO DA RESPONSABILIDADE SOCIO-AMBIENTAL

 

Quais seriam os resíduos excretados por uma fábrica de joias e semi-joias?

Esta errado quem pensa que os metais preciosos como o Ouro, Prata, Paládio, Platina e Cobre não são encontrados nos dejetos e residuos das industria de joias.

 

O Setor joalheiro, da indústria ao pequeno artesão, tem um rígido processo no controle de desperdícios. Para as indústrias, vários são os meios utilizados para evitar perdas, sendo as áreas de Processos e Controle de Qualidade as responsáveis. Este minucioso trabalho reduziu para 5% (media atual do setor) as perdas dos metais preciosos no processo produtivo, perseguindo uma redução ainda maior.

Atualmente várias tecnologias em termos de processos e maquinário, reduziram essas perdas, para que assim seja obtido o máximo valor agregado possível e que os custos com perdas não provoquem a redução dos lucro ou elevem os preços acima aos dos concorrentes, fazendo com que o produtor de joias perca espaço neste acirrado mercado.

Seguem alguns exemplos de controle de perdas/prejuízos na indústria de joias:

  • Tratamento fisico, quimico e biologico dos efluentes industriais; e
  • Encaminhamento de todo lixo gerado pela fabrica para empresas especializadas na recuperacao de metais.

Exemplos de lixo e efluentes:

  • tapetes utilizados no chao da fabrica;
  • filtros dos coletores de po;
  • vestimentas dos operarios;
  • as lixas;
  • os cadinhos usados;
  • “agua de pia” (agua usada para lavar maos de quem manipula metais, atraves de processo de decantacao);
  • outros

RBM-Recuperadora Brasileira de Metais, a 3M Recuperadora e a Purimetal sao exemplos de empresas que trabalham no processamento destes residuos, devolvendo os metais preciosos encontrados para a industria joalheira.

A AJORESP, com apoio da CETESB, tendo como base os rigorosos métodos de controle de perdas observado no atual processo fabril e metalúrgico de metais preciosos, elaborou uma cartilha, a ser publicada em março/2015, demonstrando a importância dos controles e tratamento de resíduos metálicos e químicos, além dos fatores legais e ambientais. Essa metodologia, poderá em breve, estender-se para outros segmentos, tornando-se modelo, e atingindo os objetivos almejados ao meio ambiente.

O Banco Central, através da Resolução no 4327/14, estabeleceu Políticas de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) que devem ser observadas nos estabelecimentos, processos e produtos das instituições financeiras sob sua supervisão, mostrando com isso uma evolução da instituição e a preocupação com os impactos ambientais.

 

Moacir Camargo – Economista Parmetal DTVM (fontes de pesquisas: TV Tem (youtube.com), AJORESP, CETESB e Banco Central do Brasil)

Categories:
  JoalheriaMeio ambiente
Esse post foi compartilhado 0 vezes
 200